Términos Destrutivos

Términos destrutivos

Descubra se você está vivendo um término destrutivo;

Se você se identificou sinta-se a vontade em entrar em contato comigo para que eu possa ajudar

Disputa de quem está mais feliz

Ele segue a vida, indo a festas, saindo e se divertindo, enquanto eu fico presa. A vida não segue, eu fico triste em casa, pensando que ele está feliz seguindo em frente e eu não. Queria que ele voltasse, queria sair apenas para mostrar que estou bem também. Não posso demonstrar que estou sofrendo ou que estou por baixo. Tenho que demonstrar que estou feliz apenas para provocá-lo e fazê-lo ficar louco, para que ele veja que me perdeu e que eu sou incrível. Mas a tristeza começa a surgir, pois percebo que na verdade não estou fazendo nada, muito menos feliz. Vem a solidão, a necessidade de estar com a pessoa que teoricamente me faz bem, mas que na verdade não faz.

Virando “ficante”

Vocês se encontram, se beijam, vivem momentos de lua de mel, até mesmo melhores do que antes do término. A única diferença é que estão mais distantes, pois não precisam dar satisfação o tempo todo ou mandar mensagens com frequência. Afinal, vocês “não estão juntos”.

Mas a verdade é que um dos cônjuges quer evitar a conversa do fim e fica empurrando o relacionamento de maneira que fique confortável ele, quanto o outro que deseja permanecer no relacionamento realmente acredita que está tudo bem e aceita qual quer tipo de contato para não perder a relação.

“Ciclo sem fim”

O relacionamento termina em brigas e bloqueios, mas pouco tempo depois, ele(a) que te bloqueou se arrepende e pede desculpas, implora por uma chance de mudar e reconquistar sua confiança. Vocês começam a se reaproximar aos poucos, mandando mensagens, fazendo declarações profundas e saindo para passeios e viagens. A lua de mel começa, mas os pensamentos sobre o que aconteceu de ruim ainda persistem na sua cabeça. “E se a ele(a) fizer de novo?”, ” Por que ele(a) fez aquilo comigo?”.

A raiva e a tristeza tomam conta e a vontade de conversar aumenta, mas as tentativas acabam em brigas. Ele(a) entra na defensiva, não ouve nem compreende, e aponta os erros do relacionamento, machucando ainda mais um ao outro. Terminam brigados e bloqueados, mas pouco tempo depois tudo recomeça de novo.

Por que esses términos são destrutivos?

Todos esses términos, que na em muitas das vezes nem são términos , acabam gerando mais confusão e desgaste emocional. Eles persistem devido à esperança de estar feliz e bem com a pessoa novamente, mas isso não acontece e não vai acontecer enquanto não resolverem o que de fato está destruindo o relacionamento. O tempo afastado não é suficiente para curar tudo! Dar seu amor incondicional não vai mudar a cabeça do outro.

Jacqueline Lima

Clínica de psicologia especializada em Terapia Cognitivo Comportamental

Atendimentos particulares em Psicoterapia

Agendamento ou dúvidas